Produtos

Padrão Racial

Os Padrões de Excelência da Raça Dorper

A Associação dos Criadores de Ovinos Dorper da África do Sul, considera que a versão em Afrikans original, é a utilizada para interpretação autêntica destes padrões. Esta tradução foi feita a partir da versão oficial em Inglês e adaptada para Português, com base no conhecimento dos autores dos termos comuns utilizados na RSA pelos juizes das várias espécies e raças para descrever defeitos ou falhas nos animais.

Estes padrões de excelência da raça Dorper foram aprovados pela Associação de Criadores de Ovinos da Raça Dorper da África do Sul, em Julho de 1997, e substituem quaisquer outros padrões anteriormente em utilização.

O propósito dos padrões de excelência é indicar o grau do mérito ou excelência de um animal através da descrição e atribuição de uma pontuação de acordo com a aparência visual e desempenho do animal. Estes valores deverão ser registrados de modo a refletirem verdadeiramente a excelência ou os defeitos dos ovinos. Para fins descritivos e comparativos, os ovinos podem ser comparados entre si através do cartão de pontuação, e a seguinte pontuação atribuída em correspondência com os respectivos termos das seções principais dos padrões de excelência.

Muito bom 5 pontos
Acima da média 4 pontos
Média 3 pontos
Pobre ou abaixo da média 2 pontos
Muito pobre, com indicação para ser eliminado 1 ponto

Os seguintes aspectos compõem os padrões de excelência:

1. - Conformação: representada pelo símbolo B

Cabeça

Cabeça forte e longa com grandes olhos, bem distanciados e bem protegidos.

Nariz forte, boca forte e bem formada com as maxilas profundas e perfeitamente colocadas é o ideal. Para se qualificar para T5 (tipo 5), as mandíbulas deverão se encaixar perfeitamente. Para se qualificar para o "Livro Nobre" ou para animal de rebanho (reprodutor para fins comerciais) a mandíbulas poderá ser até 3 mm mais curta ou mais comprida do que as anteriores. Quando os dentes permanentes estiverem em erupção, os de leite adjacentes deverão ser usados para julgar o encaixe das arcadas superior e inferior, respectivamente.

A testa não deve ser achatada. O tamanho das orelhas deverá ser proporcional ao da cabeça. Chifres grandes e pesados são indesejados, mas permitidos. Chifres pequenos ou apenas desenvolvidos na sua base são os ideais. A cabeça deverá ser coberta por pêlos curtos e negros no Dorper e pêlos curtos e brancos no Dorper Branco. Não deve haver indícios de depósitos de gordura na cabeça.

Quarto anterior e pescoço

O pescoço deve ser de comprimento mediano, bem largo, bem coberto de carnes e bem ligado ao quarto anterior.

Os ombros deverão ser firmes, largos e fortes. Um peito moderadamente largo, profundo e moderadamente proeminente em relação aos ombros é o ideal.

As pernas anteriores deverão ser robustas, terem bons aprumos e estarem bem posicionadas, com fortes articulações da quartela e cascos não excessivamente separados. Articulações da quartela fracas e pernas em X deverão ser penalizadas de acordo com o grau de anormalidade.

Os ombros (paletas) que aparentem estar soltos, um peito que se inclina para cima acentuadamente e não proeminente para além dos ombros, pernas tortas e pobre capacidade de caminhar são defeitos graves.

Tronco ou corpo

O ideal é um tronco longo, profundo e largo, costelas bem arqueadas e um lombo largo e cheio.

O animal deve ter uma linha dorso-lombar bem longa e reta e não deve ser "apanhado" por trás dos ombros (paletas). Porém, uma ligeira depressão por traz dos ombros é permitida.

Quadro traseiro

Reprodutor de Lubbe Cilliers, grande criador da raça Dorper, em Douglas, África do Sul


A garupa ideal deve ser larga e longa, com as partes interna e externa das coxas musculosas, arredondadas e profundas nos animais adultos.

As pernas traseiras devem ser fortes e bem colocadas com cascos e as articulações da quartela bem robustas. Os defeitos nas articulações da quartela devem ser penalizados de acordo com a sua gravidade. Os jarretes deverão ser fortes e sem tendência para rotação para dentro ou para fora. Pernas arqueadas, jarretes fracos (que cedam demais ao caminhar) ou jarretes perpendiculares (90 graus) são defeitos eliminatórios.

Úbere e órgãos sexuais

É essencial que o úbere e os órgãos sexuais da ovelha sejam bem formados. O escroto do carneiro não deve ser muito longo e os testículos deverão ser de tamanhos iguais e não demasiadamente pequenos. Qualquer anormalidade nos testículos é um defeito grave e eliminatório.

Aparência geral

O ovino deve ser simétrico e bem proporcionado ou balanceado. Um temperamento calmo, com uma aparência vigorosa é o ideal.

2. - Tamanho ou taxa de crescimento: representado pelo símbolo C

Um ovino com um bom peso para a sua idade é o ideal. Animais extremamente pequenos ou extremamente grandes devem ser descriminados e penalizados.

3. - Distribuição da gordura: representada pelo símbolo D

Demasiada localização de gordura em qualquer uma das partes do corpo é indesejável. Uma fina camada de gordura distribuída uniformemente sobre a carcaça e entre as fibras musculares é o ideal. O animal deve ser firme e musculoso quando manejado.

4. - Padrão de cor: representado pelo símbolo P
  • Dorper padrão
O ideal é um ovino branco, com a cor preta confinada à cabeça e pescoço. Algumas manchas pretas no corpo e pernas são permitidas, mas ovinos totalmente brancos ou predominantemente negros são indesejáveis. Pêlos castanhos em redor dos olhos, tetas brancas, falta de pigmentação por baixo da cauda e cascos brancos são indesejáveis.
  • Dorper Branco
O ideal é um ovino totalmente branco, com a pele bem pigmentada ao redor dos olhos, por baixo da cauda, no úbere e nas tetas. Um número limitado de manchas de outras cores nas orelhas e abaixo da linha ventral do animal é permitido (veja os critérios para definição da linha no ponto 4 -Padrão de coloração).

5. - Pêlo e lã: representados pelo símbolo H

O ideal é uma lã curta e solta cobertura de pêlos, com a lã predominantemente no quarto anterior. A região ventral do animal deve ter uma cobertura de pêlos muito curtos, e sem lã. Demasiada lã ou demasiado pêlo é indesejável e exclusivamente lã ou pêlo é uma característica a penalizar. Crinas são uma desqualificação.

6. - Tipo: representado pelo símbolo T

O tipo é j de acordo com o grau ao qual o ovino se conforma aos requisitos gerais da raça. Quando da avaliação pelo tipo, a ênfase é colocada na conformação, tamanho e distribuição da gordura. A cor e a cobertura (pêlo/lã) são de importância secundária.

Atribuição da Pontuação
A pontuação é atribuída do seguinte modo:

  1. Conformação (B)
    • B5 Muito boa
    • B4 Boa
    • B3 Mediana. Sem defeitos de eliminação
    • B2 Pobre
    • B1 Muito pobre com defeitos de eliminação

  2. Tamanho (C)
    • C5 Ovino grande
    • C4 Mediano
    • C3 Abaixo da média
    • C2 Pequeno
    • C1 Extremamente pequeno ou extremamente grande

  3. Distribuição da Gordura (D)
    • D5 Boa distribuição da gordura por todo o corpo. Sem gordura localizada
    • D4 Boa distribuição da gordura. Uma ligeira indicação de localização de gordura
    • D3 Uma razoável quantidade de gordura localizada ou animal magro "seco"
    • D2 Gordura localizada ou animal muito seco
    • D1 Excessiva gordura localizada ou animal demasiado seco. Quando da avaliação da gordura, penaliza-se mais a acumulação ou localização da gordura nos animais jovens do que nos animais adultos

  4. Padrão de Cor (P)

  5. Na definição do padrão de cor, a divisão da linha que separa a região do topo (dorsal) e a ventral (abaixo da linha), é a seguinte:

    A linha imaginária passa pelo:
    1. Jarrete
    2. Na parte mais baixa do joelho
    3. Nos carneiros, se projeta para traz, até à junção do escroto
    4. Nas ovelhas, a linha sobe até os órgãos sexuais

    DORPERS

    Dorper Padrão
    • P5
      1. Um ovino branco, com uma cabeça totalmente negra ou com a cabeça e o pescoço negros
      2. Pigmentação completa é essencial


    • P4

    • É permitido o seguinte:
      1. A cor negra limitada à cabeça e ao pescoço, manchas negras isoladas no pescoço, incluídas
      2. Uma mancha parcial ou única, limitada à parte de trás da cabeça não se estendendo para além da base dos chifres
      3. Um limitado número de pequenas manchas (pontos) abaixo da linha dorsal (na região ventral - veja os critérios de demarcação da linha)
      4. Uma mancha não excedendo os 10 cm de diâmetro por baixo da cauda da ovelha ou em redor da abertura prepúrcial e/ou anal do carneiro


    • P3
      1. Negro limitado à cabeça, pescoço e quartos anteriores, não se estendendo para baixo do joelho. O joelho inclui a articulação completa
      2. Manchas soltas no antebraço e acima do joelho são consideradas como estando no quarto anterior
      3. Manchas soltas no joelho e no jarrete ou abaixo destes são consideradas como estando abaixo da linha
      4. Um animal com o quarto posterior negro pode ter outras manchas negras abaixo do tarso desde que estejam separadas
      5. Um número limitado de manchas negras no corpo e abaixo da linha
      6. Manchas negras limitadas abaixo da linha, não excedendo no seu conjunto os 10cm em diâmetro
      7. As manchas negras à volta dos órgãos sexuais não têm que estar separadas das manchas abaixo da linha, desde que não hajam outras manchas ou pontos negros abaixo da linha. Neste caso uma mancha de 20 cm de comprimento por 10 cm de largura é permitida
      8. Manchas brancas na cabeça e pescoço, exceto ao redor dos olhos, onde o pêlo negro deve aparecer sem manchas ao redor de ambos os olhos. As orelhas devem ser coletivamente pelo menos 50% negras. Uma mancha branca que não seja contínua, assim como, uma mancha na cabeça que se estenda para além da coroa (base dos chifres) são permitidas. Nas duas classes dos cordeiros, estes devem ter uma indicação de pigmentação em cada uma das partes do corpo onde a pigmentação é requerida


    • P2
      1. Negro e branco para além do permitido em P4 e P3
      2. Ovino com uma mancha contínua e/ou mais do que 50% de branco na superfície conjunta das duas orelhas


    • P1
      1. Ovino completamente negro ou completamente branco
      2. Ovino com qualquer outra cor, além do branco ou do negro
      3. Ovino com um ou com ambos olhos azuis




      Para se qualificar para P3, um Dorper deve ter mais do que 50% da superfície pigmentada em cada uma das partes do corpo onde a pigmentação é requerida, exceto no prepúcio dos carneiros, onde a pigmentação não é requerida. Falta de pigmentação é um defeito que deve eliminar o animal. Penalize a presença óbvia de pêlos castanhos em redor dos olhos e na cabeça.

      Dorper Branco

      Reprodutor Dorper Branco, de grande porte e excelente conformação para carne (Estava sendo usado na Central de Transferência de Embriões - RAMSEM de Bloemfontein)


    Dorper Branco
    • P5
      1. Uma ovelha branca sem pêlo ou lã de qualquer outra cor na sua pelagem
      2. Pálpebras completamente pigmentadas de negro ou castanho
      3. Deverá ter uma indicação de pigmentação por baixo da cauda e em redor dos órgãos sexuais
      4. Pestanas castanhas ou vermelhas são permitidas
      5. Os cascos poderão apresentar cor


    • P4
      1. Um ovino branco com um número limitado de pintas negras castanhas, ou de outra cor, restritas às orelhas e abaixo da linha (vê critérios de definição da linha descritos acima)
      2. Pelo menos 50% das pálpebras de ambos os olhos devem ser pigmentadas nos carneiros e nas ovelhas, com uma indicação de pigmento em cada pálpebra
      3. Pestanas castanhas ou vermelhas são permitidas


    • P3
      1. Um ovino branco com um limitado número de pintas negras, castanhas ou de outra cor na pelagem, confinadas à cabeça e abaixo da linha
      2. Manchas na cabeça e abaixo da linha, que no seu conjunto não excedam os 10cm de diâmetro
      3. Pelo menos 25% das pálpebras nas ovelhas e nos carneiros devem estar pigmentadas em um ou em ambos os olhos
      4. Pestanas castanhas ou vermelhas são permitidas


    • P2
      1. Um ovino branco com pintas negras, castanhas ou de outra cor, e pintas marrons ou avermelhadas maiores do que as descritas em P3, limitadas à cabeça, pescoço e abaixo da linha
      2. Uma clara indicação de pigmento em qualquer das pálpebras é essencial


    • P1
      1. Um ovino branco sem pigmentação nas pálpebras e/ou coni manchas castanhas ou vermelhas ou pintas de outra cor na pelagem do corpo
      2. Ovinos com um ou ambos os olhos azuis


    Apenas em concursos ou exposições da raça: Carneiros com menos de 60 kg e ovelhas com menos de 50 kg devem ter uma indicação de pigmentação nas pálpebras.

  6. Cobertura ou Pelagem (H)
    • H5
      • Cobertura/pelagem curta e suave, composta predominantemente por pêlo, com uma leve mistura de lã. A região ventral do animal é limpa e coberta apenas por pêlos muito curtos, lisos e grossos (abaixo da linha)



    Consistência da lã de um reprodutor Dorper sendo testada pelo pesquisador Wandrick Hauss de Sousa, da EMEPA-PB. (A escassa lã da raça Dorper se solta em épocas quentes)


    • H4
      • Cobertura curta e solta, leve cobertura de pêlo e lã, com a predominantemente no quarto anterior e uma cobertura natural de pêlo curto e grosso na região ventral, abaixo da linha


    • H3
      • Cobertura curta e solta, predominantemente de lã ou com pêlos finos e macios, com pêlo curto nas partes externas das coxas


    • H2
      • Quase que exclusivamente coberto por pêlo longo e grosseiro, comprido e parecido com lã, um "avental" é permitido na região ventral do tronco
      • Quase que exclusivamente coberto por lã muito densa


    • H1
      • Exclusivamente pêlo longo e grosseiro parecido com lã
      • Exclusivamente lã
      • Pêlo muito longo, "juba"
      • Em todos os tipos de cobertura, uma pele grossa é preferida
      • Penalize uma cobertura densa ou comprida
      • Penalize uma longa cobertura abaixo da linha nos ovinos adultos
      • Penalize uma cobertura muito dispersa


  7. Tipo ou Aparência geral (T)


  8. O tipo é determinado por todas as características acima mencionadas e o juiz tem que decidir em que grau o animal cumpre com os padrões da raça e com a aparência geral de um tipo verdadeiro (ideal) de ovino da raça Dorper. A impressão geral deve ser a de um ovino robusto e bem musculoso e adaptado às regiões áridas. As ovelhas devem se inquestionavelmente femininas e os carneiros masculinos.

    Uma ovelha com 4 ou mais dentes permanentes, que não tenha parido, ou que não esteja obviamente prenhe não pode ser aceita em concurso, ou receber uma posição na arena em concurso.

    • T5 Tipo bom
    • T4 Acima da média
    • T3 Tipo mediano
    • T2 Tipo pobre
    • T1 Tipo muito pobre com defeitos de eliminação visíveis

    Todo o ovino com pontuação abaixo de 4 na sua conformação, tamanho, distribuição da gordura ou tipo, ou com uma pontuação abaixo de 3 no padrão de cor ou na pelagem/cobertura não será aprovado.

    Quando se estiver avaliando ovinos, os seguintes valores deverão ser indexados/anexados às diferentes características a serem avaliadas, de forma a dar maior peso relativo às características mais importantes do ponto de vista econômico ou produtivo:
Conformação 3
Tamanho 2
Distribuição da gordura 1
Padrão de cor 1
Cobertura / pelagem 1
Tipo 3
Seleção (tipo de registro no livro nobre) 4
Total 15



Rebanho Dorper em campos secos da savana africana, demonstrando bom estado corporal das ovelhas. África do Sul


O criador, o juiz ou o inspetor da raça Dorper, deverá sempre s lembrar de acentuar as características com maior importância ou valo econômico, pois o Dorper foi criado com o único propósito de produzi carne, o mais eficientemente possível, sob variadas e mesmo desfavoráveis condições ambientais.

Fonte: Livro, OVINOS DE CORTE A RAÇA DORPER
Voltar




Desenvolvido por:

Web Designer and Technology
© Copyright 2004 - Fazenda Belo Vale - Todos os direitos reservados

End.: Rua Manuel Novaes, 54 - Centro - Jacobina - BA. CEP: 44700-000
Fones: (74) 3621-4040 ou 3621-6000 (à noite) e-mail: dorper@dorper.com.br